segunda-feira, 12 de abril de 2010

Fundodopoçologia Aplicada a Camaradagenterapia

Ultimamente, tenho escutado bastante histórias (verídicas) de corações partidos que dariam excelentes roteiros na ficção.

Me indigno ao ver grandes otários machucarem pessoas maravilhosas que estão ao meu redor. Pessoas que cometeram apenas UM erro: o de se doar por completo à um namoro sem futuro (tudo bem que, na maioria das vezes, demora-se para perceber isso).

Meninas, POR FAVOR:  percebamos com mais atenção os pequenos detalhes. Sabe, aquele telefonema que ele ficou de dar e não deu? Então, esquecimento não foi. Tenho certeza que pra sair pra beber cerveja com os amigos dele, não existe telefone sem crédito, nem bateria descarregada que impeça!


Nessas conversas com as amigas, pude observar que todas nós temos a mania de projetar (sim, a gente ainda se atreve a isso) um lindo futuro com o nosso par. Ao mesmo tempo, nossa vida começa a se resumir à essa outra pessoa. Nossas prioridades mudam, nossa rotina, idem.

De repente, você, que era um pagodeiro de primeira, se vê escutando apenas rock. Aquele barzinho que você amaaaaaaaava ir com suas amigas é trocado por baladas no edredon, regadas à muito filme de terror, que por sinal, você também detestava.

Resumindo minhas observações: chega a um ponto em que você acha que não consegue viver mais sem aquela pessoa. Você esquece que antes desse ser aparecer, você já era muito, muito feliz!

Não vou dar uma de anti-romântica e dizer que é bem melhor estar feliz sozinha do que  feliz com alguém., né! É ótimo ter uma pessoa ao nosso lado pra trocar beijinhos, carinhos, denguinhos e todos esses "inhos" que a gente adora! Mas só que muitas vezes pecamos por excesso. Esquecemos do mundo enquanto estamos com aquele alguém especial e não paramos para pensar que TUDO nessa vida tem início, meio e fim.

A gente torce pra ser pra sempre...mas um dia, qundo menos se espera, tudo já era. Você precisa se readaptar ao mundo, encontrar de novo aquele seu "eu" interior que você nem lembrava mais que existia.

Já vi muitas vezes pessoas se chamarem de idiotas, por terem esperado tanto e recebido tão pouco...mas não as considero assim. Pra mim, os únicos e verdadeiros idiotas foram aqueles que as perderam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário